top of page

Como funciona esse tal de Mindfulness?

Atualizado: 3 de mai. de 2023

Nós, do Instituto Plenativamente de Promoção à Saúde, temos como propósito o desenvolvimento de conhecimento em mindfulness e compaixão com base em evidência.


As pesquisas sobre Mindfulness têm sido sistematizadas desde aproximadamente 1970, mas apenas há cerca de 20 anos têm ganhado força e adquirido notoriedade. A maioria desses estudos esteve concentrada em avaliar a eficácia das Intervenções Baseadas em Mindfulness (IBMs), sugerindo benefícios no tratamento de sintomas diversos. Apesar disso, nos últimos anos, estudiosos têm se dedicado a investigar as questões relativas aos mecanismos de ação subjacentes às IBMs.

um grupo conversando sobre o que é mindfulness
Os 3 componentes de Mindfulness: intenção, atenção e atitude,

Shapiro e colaboradores propuseram um modelo para elucidar potenciais mecanismos para explicar se e como mindfulness afeta a mudança e a transformação daqueles que praticam.


Os autores ressaltam, entretanto, que apesar de mindfulness ser associado frequentemente como prática formal de meditação, é muito mais do que meditação. É inerentemente um estado de consciência, que envolve a atenção consciente à experiência de cada momento (inclusive nas atividades mais banais e cotidianas, como cozinhar). A prática de meditação seria uma forma de desenvolver o estado, ou as habilidades, mindful.


Para eles, mindfulness funcionaria a partir de três principais componentes (axiomas): intenção, atenção e atitude, que ocorrem simultaneamente e se relacionam entre si, momento a momento. O axioma pode ser encontrado, inclusive, na frequente definição de mindfulness elaborada por Jon Kabat-Zinn (1994), um dos principais estudiosos do tema: “prestando atenção ao momento presente, de uma maneira particular, com propósito, e sem julgamento”.





Nesse sentido, os três axiomas são compreendidos como componentes fundamentais de mindfulness. Segundo os autores, eles respondem, direta ou indiretamente, por grande parte das mudanças e transformações que são observadas diante da prática de mindfulness.


Um potencial mecanismo sugere que prestar atenção intencional com abertura e sem julgamento levaria a mudanças e transformações na perspectiva, que seria então denominada como repercepção, um metamecanismo, ou seja, um mecanismo de ação que abrange mecanismos adicionais que levam a outras mudanças e transformações como: autorregulação; esclarecimento de valores; flexibilidade cognitiva, emocional e comportamental; exposição. Essas variáveis podem ser vistas como resultado em si ou como mecanismos potenciais para outros resultados como a redução de sintomas psicológicos.


Esse modelo foi descrito em um artigo publicado em 2006 e, desde então, diversos estudos foram realizados para entender melhor os mecanismos neurais subjacentes ao mindfulness.


Quer saber mais? Leia nosso último post!

Curta, comente e compartilhe!


Referências

SHAPIRO, Shauna L. et al. Mechanisms of mindfulness. Journal of clinical psychology, v. 62, n. 3, p. 373-386, 2006.

50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page