Image by Nick Fewings

MBPR - Medita Nepsis

O MeditaNepsis é um centro de pesquisa e de formação profissional destinado para adaptação, avaliação, aprimoramento e disseminação do programa de Prevenção de Reatividades Baseadas em Mindfulness (MBRP) no Brasil.

O Centro desenvolve pesquisas em colaboração com a Professora Sarah Bowen, desde 2010. Oferece também formação em MBRP para profissionais que desejam utilizar o protocolo em sua prática clínica.

Por meio do Projeto SER-Unifesp, o centro também oferece grupos de mindfulness como extensão universitária para a comunidade.

O NEPSIS é um diretório de pesquisa e extensão vinculado ao Departamento de Psicobiologia da UNIFESP, sob coordenação da Professora Dra Ana Regina Noto e Dra Emérita Opaleye.

 

 

 

 

MBRP (Mindfulness como Base para Prevenção de Reatividades)

 

O Protocolo MBRP, com foco ampliado para a Prevenção de Reatividades, é fruto da experiência de uma década de pesquisas científicas no Brasil, a partir do protocolo MBRP (Mindfulness Based Relapse Prevention – Bowen, 2015).

Com supervisão da Profa Sarah Bowen e ajustes metodológicos mínimos ao protocolo original, direcionados para reatividades em geral, pesquisas indicaram a sua viabilidade e a efetividade para população geral de diferentes contextos clínicos e educacionais.

Foram realizadas pesquisas no Brasil inicialmente com tabagistas (Souza-Weiss, 2016), mulheres com insônia e uso de hipnóticos (Barros, 2017), dependentes de álcool e outras drogas (Machado, 2019), familiares e cuidadores de pessoas com transtornos mentais, estudantes e professores universitários. Os protocolos estudados foram oferecidos em ambiente clínico, comunitário, universitário e empresarial, no formato de 8 semanas e em formato aberto-contínuo.

Ensaios clínicos randomizados-controlados indicaram redução da ansiedade, insônia e depressão em várias das populações estudadas. Em pesquisas com populações em tratamento para dependência, foi também observada melhora no manejo da fissura (urgência para uso de substâncias) e da expressão da raiva. A partir de avaliações qualitativas, os participantes declaram maior consciência de si, melhora nas relações interpessoais, na habilidade de concentração e na qualidade de vida de forma geral.

Com o conjunto de resultados das pesquisas, em comum acordo com a Profa Sarah Bowen, o protocolo passou a MBRP ampliado para reatividades, a partir do manejo emocional de forma mais geral. Além da aplicação para transtorno por uso de substâncias, atualmente o MBRP é aplicado para pessoas com insônia, ansiedade, raiva, quadros de impulsos e compulsões (como por exemplo jogos, tecnologia, alimentar, etc.), além da sua aplicação para manejo emocional mesmo sem ter um quadro de saúde associado.